CidadesCuriosidadesEducaçãoMenu Principal

Chapada: Estudantes da Educação Profissional aprendem manejo de uvas em Morro do Chapéu

foto6
Na atual etapa do estágio, os estudantes estão participando da colheita das uvas que serão utilizadas na fabricação de vinhos e espumantes | FOTO: Reprodução/Ascom da SEC |

O belo parreiral em Morro do Chapéu, na Chapada Diamantina, tem sido um laboratório para os estudantes do curso técnico em Agropecuária do Centro Estadual de Educação Profissional em Saúde e Meio Ambiente e Recursos Naturais Jubilino Cunegundes (Ceep). Os jovens estão fazendo o estágio curricular nas plantações de uvas e outras frutas temperadas da região, graças a uma parceria da unidade escolar com a Associação dos Produtores e Criadores de Morro do Chapéu e Região. Ao colocar em prática tudo o que aprenderam no curso, os alunos ampliam a preparação para o futuro exercício profissional.

Na atual etapa do estágio, os estudantes estão participando da colheita das uvas que serão utilizadas na fabricação de vinhos e espumantes. De acordo com a orientadora de estágio do Ceep, Daniella Sacramento, durante o período de prática, que vai de um a três meses, os estudantes aprendem todo o manejo das frutas, como poda, adubação e colheita, além de outros conhecimentos. “O estágio é muito importante porque eles adquirem experiência profissional e aprendem o que o mercado exige. Além disso, percebo que existe um grande crescimento deles, pois amadurecem, passam a ter mais responsabilidade, postura profissional e compromisso”, destaca.

Jasiel Xavier Santos, 19 anos, conta que o estágio está mudando a sua vida. “Fui convidado pela Associação para fazer um intercâmbio de três meses em Portugal e estou muito feliz pela oportunidade porque vou saber como funciona a produção de uvas lá e trocar experiências que vão me ajudar muito na minha futura profissão”, diz o estudante da zona rural, que deverá viajar até o início de 2017.

Seu colega Jardel Carvalho, 17, também conta que está gostando muito do estágio. “Busco absorver o máximo de conhecimento possível para o campo profissional”, afirma. Já Gabriel Oliveira, 18, diz que, “além da uva, aprendi sobre os tratos culturais do pêssego, ameixa, maçã, pera e abacaxi, e isso aumentou meus conhecimentos técnicos”.

Os estudantes estão planejando ações de intervenção na comunidade a serem desenvolvidas após o curso. “Vamos fazer oficinas e atividades relacionadas ao curso em escolas públicas da nossa região, para passar um pouco do conhecimento adquirido e, também, recolher lixo orgânico para o preparo do solo das hortas que iremos implantar nas escolas”, explica o estudante Márcio da Paz, 21. Com informações da SEC.

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios