Ituaçu: Liminar da Justiça do Trabalho retém valores de envolvidos em suspeita de trabalho escravo

Postado em jul 27 2017 - 9:54am por Jornal da Chapada
foto

A justiça bloqueou 10% do valor residual que a prefeitura ainda tem a repassar à empresa Macedo Construções | FOTO: Divulgação |

O processo que corre na Justiça do Trabalho contra a prefeitura de Ituaçu, cidade da Chapada Diamantina, e a empresa da construção civil Macedo Construções, teve sua continuidade na última quarta-feira (26) com a decisão liminar da juíza do Trabalho Carla Mascarenhas. As rés são acusadas de manter cerca de 15 homens em condições de trabalho análogas à escravidão. Eles estavam locados na construção da escola da localidade de Campo Grande, no município.

A análise da juíza a levou a deferir o pedido de tutela antecipada, que é uma decisão de urgência dada ao processo, nesse caso contra os réus. Isso para que o prejuízo aos trabalhadores não aumente com o tempo. Mascarenhas definiu pela retenção de 10% do valor residual que a prefeitura ainda tem a repassar à empresa Macedo Construções. “O valor líquido que ainda há a ser repassado é de R$110 mil”, disse o advogado dos trabalhadores, Anderson Gama, ao Jornal da Chapada.

Segundo Gama, o bloqueio foi de 10% desse valor para cada reclamante e a empresa ficará impossibilitada de receber esses valores. Entre as acusações o grupo está “alegando vínculo trabalhista, condições de trabalho análogas a escravo e condições insalubres do trabalho”, disse o advogado.

Esse ato da juíza garante aos trabalhadores, caso vençam a disputa judicial, que o montante ficará disponível para pagamento de eventuais indenizações. A decisão deve ser cumprida de imediato, segundo Gama. Ele disse ainda que a juíza pediu à empresa a comprovação do destino e o total do dinheiro recebido da prefeitura através da apresentação de seu livro contábil. Nova audiência terá data marcada para continuação da análise do caso em Ituaçu.

Jornal da Chapada

Leia também
Chapada: Advogado que defende trabalhadores em condições precárias reforça situação ilegal
Chapada: Audiência sobre caso de suposto trabalho escravo em Ituaçu amplia debate sobre o caso
Chapada: Prefeitura de Ituaçu e empresa de construção civil são acusadas de trabalho escravo

Confira fotos

Este slideshow necessita de JavaScript.

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.