Chapada: Escritor Aleilton Fonseca participa de bate-papo na Feira Literária de Mucugê

Postado em ago 4 2017 - 12:45pm por Jornal da Chapada
capa

Os participantes da Fligê 2017 interagem com o autor Aleiton Fonseca, no dia 13 de agosto, no Centro Cultural | FOTO: Montagem do JC |

Rememorar os 120 anos da Guerra de Canudos a partir do clássico literário ‘Os Sertões’, no qual Euclides da Cunha descreveu com riqueza de detalhes, uma vez que o autor presenciou uma parte do combate e o narrou nas páginas do jornal O Estado de S. Paulo, é o mote central de toda a Fligê. Desde o fim do confronto no nordeste brasileiro, em 1897, passando pela publicação da obra, em 1902, até os dias atuais, a Guerra de Canudos continua suscitando interesse, estudos, debates e reflexões em vários setores da cultura, desde a historiografia, a narrativa de ficção, a poesia, o cordel, a música e as artes plásticas.

Ler sobre as várias versões do tema nos livros é uma maneira de conhecer um pouco da história do país, no entanto, ouvir o escritor Aleiton Fonseca discorrendo sobre o assunto ‘O Pêndulo de Euclides e Canudos em Tela’ é algo que só os participantes da Feira Literária de Mucugê terão a oportunidade, na atividade Bate-Papo com o Escritor, no dia 13 de agosto, às 16h, no Centro Cultural.

“Muitos foram a Canudos e falaram da terra, do homem sertanejo e da luta de Antônio Conselheiro. Mas, e as vozes do sertão? O que elas têm a dizer? Através da literatura, podemos refletir sobre as relações contraditórias entre os discursos e a necessidade de se reverem e reescreverem as versões oficiais sobre a guerra, seus motivos e consequências, ao ouvir e considerar as versões dos camponeses do Arraial de Santo Antônio do Belo Monte (Canudos), vencidos e massacrados pelas forças da república velha”, argumenta Fonseca.

Em sua participação na Fligê, o professor doutor Aleiton empodera o povo sertanejo dando voz aos narradores orais e suas memórias, para manter viva a história de resistência material e simbólica deste mesmo povo diante da opressão e das injustiças sociais ao longo da história. Participa ainda da atividade, o artista plástico Silvio Jessé com obras relativas ao tema.

A Feira Literária de Mucugê é realizada com o apoio do Ministério da Cultura (MinC), do Governo do Estado da Bahia – Terra-Mãe do Brasil, através da Secretaria de Cultura (Secult), Secretaria da Fazenda (Sefaz), em parceria com a Prefeitura de Mucugê e o Instituto Incluso, com acesso gratuito para todo o público, entre os dias 10 e 13 de agosto de 2017, nos municípios de Mucugê e Andaraí, na Chapada Diamantina/Bahia. A programação completa está disponível no site www.flige.com.br.

Serviço
O quê: 2ª Feira Literária de Mucugê.
Quando: de 10 a 13 de agosto.
Onde: Centro Cultural (Clube), Colégio Horácio Matos, Casa da Filarmônica, Pç. Cel. Propércio (Calçadão), Cesta do Povo, Espaço Academia, Museu e Centro Histórico de Mucugê.
Entrada gratuita.

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.