Chapada: Deputado lamenta aumento da violência no campo com as mortes de quilombolas em Lençóis

Postado em ago 9 2017 - 10:00am por Jornal da Chapada
foto

Valmir defende que a questão seja investigada com celeridade e se solidariza com todos que vivem na comunidade de Iúna e com os membros das famílias dos quilombolas | FOTO: Reprodução |

O deputado federal Valmir Assunção (PT-BA) repudiou o aumento da violência no campo na Bahia, com o registro de oito mortes de quilombolas em menos de um mês. Nesta terça-feira (8), o petista lamentou a chacina que resultou em seis mortos no Território Quilombola de Iúna, município de Lençóis, na Chapada Diamantina. “É preciso apurar o caso porque a região é um local de disputa de terras e a violência no campo, infelizmente, tem aumentado em todas as regiões do país, fruto da ofensiva conservadora encorajada por um governo golpista e ilegítimo – que tem responsabilidade direta com o aumento dos conflitos”, aponta o deputado.

Valmir defende que a questão seja investigada com celeridade e se solidariza com todos que vivem na comunidade de Iúna e com os membros das famílias dos quilombolas. A chacina aconteceu no último domingo (6) e vitimou Adeilton Brito de Souza, Gildásio Bispo das Neves, Amauri Pereira Silva, Valdir Pereira Silva, Marcos Pereira Silva e Cosme Rosário da Conceição. Esse caso é investigado pela Polícia Civil em Lençóis. Em 16 de julho, Lindomar Fernandes Martins, também foi assassinado em Iúna. Já José Raimundo Mota de Souza foi encontrado morto no Território Quilombola Jiboia, em Antonio Gonçalves, também no mês de julho.

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

2 Comentários Sinta-se livre para participar desta conversa.

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.