Chapada: Defensoria percorre mais de 1,5 mil quilômetros pela região para entregar exames de DNA

Postado em dez 27 2018 - 12:49pm por Jornal da Chapada



A última edição 2018 do mutirão de entrega e abertura dos exames foi realizada nas cidades de Oliveira dos Brejinhos, Brotas de Macaúbas e Boninal | FOTO: Montagem do JC/DPE-BA |

A região da Chapada Diamantina e municípios vizinhos foram os destinos escolhidos pela Defensoria Pública do Estado da Bahia (DPE-BA) para a realização da última edição de 2018 do mutirão de entrega e abertura dos exames de DNA feitos durante a passagem da Unidade Móvel de Atendimento da Instituição pelas cidades do interior do estado. Dos 34 exames abertos, 20 deram positivos e 14 tiveram resultados negativos. Nos dias 17, 18 e 19 de dezembro, o defensor público Ricardo Carillo e o servidor Marcos Silva percorreram mais de 1.500 quilômetros e foram até às cidades de Oliveira dos Brejinhos, Brotas de Macaúbas e Boninal, respectivamente, para abrirem os exames.

Com a missão de abrir os envelopes e informar se os resultados tinham dado positivo ou negativo, o defensor público Ricardo Carillo ressaltou o quanto é importante a Defensoria desenvolver estes tipos de ações, pois fazem a diferença na vida dos moradores que ainda não contam com a Instituição de forma fixa nas cidades. “A Unidade Móvel da Defensoria chega às cidades para preencher a lacuna que existe e, mesmo em poucos dias, isso faz toda a diferença”, destacou o defensor.

“Compromisso é compromisso: se a gente foi lá coletar o material genético para o exame, tínhamos que voltar e levar a resposta que estes moradores tanto esperavam, seja positiva, que é a nossa torcida, ou negativa”, revelou o servidor Marcos Silva, que faz a coleta do material genético durante as visitas da Unidade Móvel às cidades. Lembra do lavrador Jeová Oliveira, que mora em Seabra, e que não pensou duas vezes quando soube que a Unidade Móvel da Defensoria estava em Boninal, no mês de outubro, e colocou os dois supostos irmãos dentro do carro e viajou 58 quilômetros – de Seabra a Boninal – para aproveitar a chance de fazer o tão sonhado exame de DNA? O resultado deu positivo e os irmãos não paravam de comemorar.

“Finalmente, depois de 51 anos, agora terei o nome do meu pai [falecido há 10 anos] em meus documentos. Sempre me faltou isso”, comemorou o lavrador. “Um homem não pode viver sem documento e sem o nome do pai ou da mãe nele. Graças ao trabalho da Defensoria, que nos deu a oportunidade de fazer este exame sem pagarmos nada, agora está provado que ele é nosso irmão e filho do nosso pai”, acrescentou irmão do lavrador, Erivaldo Oliveira, 62 anos.

Clima natalino no retorno
Aproveitando o clima natalino, o servidor Marcos Silva, que, no mês das crianças levou brinquedos e doces para a garotada de Brotas de Macaúbas e Oliveira dos Brejinhos, lembrou, também, dos adultos neste retorno às cidades e distribuiu roupas, calçados e mais brinquedos que conseguiu arrecadar. “Percebi a necessidade dos moradores dos povoados que ficam à beira da estrada e pedi às pessoas que têm muito para doar que me ajudassem nesta missão de fazer o bem por aqueles que precisam. É muito gratificante ver o quanto isso também faz diferença na vida das pessoas”, contou o servidor. As informações são de assessoria.

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.