Pular para a barra de ferramentas
CidadesCuriosidadesMenu PrincipalSaúde
Trending

#Brasil: São mais de seis milhões de infectados desde o começo da pandemia; 168 mil pessoas já morreram

Entre a quinta e a sexta, as autoridades de saúde registraram mais 552 óbitos em função de infecções por coronavírus.

O número de casos de covid-19 no Brasil passa de 6 milhões conforme boletim do Ministério da Saúde (MS) divulgado nesta sexta-feira (20). Nas últimas 24 horas, foram registrados 38.397 novos casos da doença, totalizando 6.020.164. Na última quinta-feira (19), o sistema marcava 5.981.767 casos acumulados.

O total de mortes pela doença atingiu 168.613 desde o início da pandemia. Entre a quinta e a sexta, as autoridades de saúde registraram mais 552 óbitos em função de infecções por coronavírus. Na quinta, a totalização estava em 168.061 mortes pela doença causada pelo novo coronavírus. Ainda há 2.176 óbitos em investigação.

A atualização do MS é feita a partir de informações levantadas pelas secretarias estaduais de saúde em relação a casos e mortes por covid-19. Ainda conforme o balanço da pasta, há 429.449 pacientes em acompanhamento, e 5.422.102 já se recuperaram da doença.

Situação epidemiológica da covid-19 no Brasil 20/11/2020 | FOTO: Divulgação/MS |

Em geral, o número de casos é mais baixo aos domingos e segundas-feiras em função da dificuldade de alimentação de dados pelas secretarias estaduais de Saúde. Já às terças-feiras, os números podem subir mais em função do acúmulo de registros atualizado.

Estados
Os estados com mais mortes pela covid-19 são São Paulo (41.179), Rio de Janeiro (21.938), Minas Gerais (9.688), Ceará (9.477) e Pernambuco (8.899). As Unidades da Federação com menos óbitos pela doença são Acre (711), Roraima (720), Amapá (787), Tocantins (1.147) e Rondônia (1.515). Da Agência Brasil.

Etiquetas

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios