CidadesCuriosidadesEsportesMenu PrincipalTop
Trending

#Chapada: Sebrae contribui para retomada do turismo no Vale do Pati; região estava fechada há mais de um ano

Segundo a analista do Sebrae em Irecê, Michelle Nonato, a proposta no Vale do Pati é roteirizar, e classificar os percursos, além de desenvolver uma política de vendas, formatar o processo do processo comercial, institucional e de comunicação.

O Vale do Pati, considerado um dos paraísos da região da Chapada Diamantina, foi reaberto parcialmente para a atividade turística depois de praticamente um ano fechado por conta das restrições impostas pela pandemia de covid-19. Com isso, o Sebrae Bahia começou a desenvolver uma ação estratégica para apoiar a retomada da atividade no destino. O local, que fica no interior do Parque Nacional da Chapada Diamantina (Parna), foi reaberto para o turismo na última segunda-feira (19), com disponibilidade de reservar para a próxima segunda (26).

A reabertura segue as medidas sanitárias impostas pelas autoridades de saúde. A iniciativa está incluída no projeto Revigora Chapada Diamantina, que tem o intuito de contribuir para o desenvolvimento de um novo cenário para as empresas dos segmentos de meios de hospedagem, alimentos e bebidas (bares, restaurantes e similares), atrativos privados e agências de receptivo da região. Além disso, a empresa tem como objetivo proporcionar uma adequação dos empreendimentos, tendo em vista as novas tendências do mercado turístico e o perfil do consumidor atual.

Segundo a analista do Sebrae em Irecê, Michelle Nonato, a proposta no Vale do Pati é roteirizar, e classificar os percursos, além de desenvolver uma política de vendas, formatar o processo do processo comercial, institucional e de comunicação. “O projeto vai levar também orientações quanto à implementação dos protocolos de biossegurança”, acrescenta.

Ainda conforme a analista, a ação estratégica compõe um planejamento macro, e inclui a presença de atores como a Associação Comunitária do Pati (Ascopa), o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (Icmbio), e as prefeituras de Mucugê e Andaraí. O projeto vai contemplar casas do Vale do Pati que prestam serviços de hospedagem, agências de receptivo, e condutores de visitantes, principalmente em Lençóis, Palmeiras, Mucugê, Andaraí, Rio de Contas e Piatã, municípios da Chapada Diamantina.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Retomada
Segundo informações divulgadas pelo ICMBio, apenas sete casas de apoio ao turismo foram adaptadas de acordo com os protocolos sanitários de combate à covid-19 e estão aptas para receber turistas, até este momento. Além disso, apenas 50% da capacidade total da casa de hospedagem será permitido. Em razão da pandemia de covid-19, os atrativos do Vale do Pati estiveram fechados há mais de um ano para a visitação.

Travessia
A travessia do Vale do Pati é considerada uma caminhada de longo curso, que dura em média entre três e oito dias, no qual os turistas além de contemplar os atrativos naturais como mirantes, poços e cachoeiras, também interagem com a comunidade da região, pois passam as noites em suas casas, ao longo do percurso.

Jornal da Chapada

Leia também

#Chapada: Vale do Pati é reaberto parcialmente para visitantes com uma série de restrições contra a covid-19

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios