CidadesCuriosidadesEditorialMenu PrincipalTop
Trending

#Brasil: Presidente nacional do PRTB, Levy Fidelix morre aos 69 anos em hospital particular de São Paulo

O comunicado do falecimento foi feito no perfil de Fidelix nas redes sociais.

Morreu na noite da última sexta-feira (23), em São Paulo, o presidente nacional do Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB), Levy Fidelix. Ele tinha 69 anos e estava internado desde março em um hospital particular. A causa da morte não foi informada.

O comunicado do falecimento foi feito no perfil de Fidelix nas redes sociais. “É com profunda dor e pesar que o PRTB, por sua diretoria, comunica o falecimento do nosso Líder, Fundador e Presidente Nacional Levy Fidelix, ocorrida nesta data na cidade de São Paulo. Descanse em paz homem do Aerotrem!”, diz a nota.

Fidelix concorreu a diversos cargos em mais de 10 eleições, mas nunca se elegeu. Ele era conhecido por defender o projeto “aerotrem” como principal meio transporte público. Tentou se eleger deputado federal (concorreu três vezes), governador (duas tentativas), presidente da República (concorreu duas vezes) e prefeito de São Paulo (em três eleições).

Em 2020 tentou se tornar prefeito da cidade de São Paulo, em sua última disputa eleitoral, mas teve apenas 11.960 dos votos, 0,22% do total. Nesta eleição, Fidelix tentou o apoio de Jair Bolsonaro, mas o presidente optou por apoiar a candidatura de Celso Russomanno.

Fidelix deixa sua mulher, Aldinea Rodrigues Fidelix Cruz, que é vice-presidente do PRTB, e uma filha, Lívia Fidelix, que tentou se eleger deputada nas eleições de 2018. As informações são do portal G1.

Carreira
Fundador do Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB), Fidelix se formou em Comunicação Social e começou a carreira como publicitário. Trabalhou também em jornais como Correio da Manhã e Última Hora, foi um dos fundadores das revistas “Governo e Empresa” e “O Poder”. Na década de 1980, foi apresentador de TV, em que entrevistava especialistas em tecnologia e políticos.

Sua carreira política teve início em 1986, quando se candidatou a deputado federal por São Paulo. Mas não se elegeu. Anos depois, trabalhou como assessor de comunicação na campanha do então candidato à presidência da república Fernando Collor de Mello, e posteriormente se candidatou a diversos cargos, como governador do Estado de São Paulo, vereador, prefeito e presidente da República. Extraído do Classe Política com dados do G1.

Etiquetas

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios