CidadesCuriosidadesMenu PrincipalPolícia
Trending

#Brasil: Ex-apoiadora de Bolsonaro, Joice Hasselmann diz que foi agredida em casa e denuncia atentado

A deputada federal afirma que não se lembra de nada: “Acordei em uma poça de sangue sem saber quanto tempo fiquei desacordada”.

A deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) não sabe explicar o que ocorreu e nem o que provocou várias lesões em seu rosto e em outras partes do corpo. De acordo com o blog de Bela Megale, em O Globo, ela sofreu um lapso de memória, na noite de sábado (17), e acordou em meio a uma poça de sangue, no chão do closet do apartamento funcional onde vive em Brasília, com cinco fraturas no rosto, uma na costela, um dente quebrado e um corte no queixo.

A parlamentar informou ao blog que acionou a Polícia Legislativa para investigar o caso e declarou que acredita ter sido “vítima de um atentado”. “Acordei em uma poça de sangue sem saber quanto tempo fiquei desacordada. A hipótese que eu mais acredito é que sofri um atentado”, disse. Ela destacou que, inicialmente, pensou que tinha desmaiado e se machucado ao cair. No entanto, logo constatou que tinha fraturas em muitos lugares do rosto e do corpo.

A avaliação é que só poderia ter se machucado assim “se tivesse rolado de uma escada, o que não aconteceu. É improvável que eu tenha conseguido cair de jeitos diferentes para lesionar tantas partes do meu corpo. Um dos médicos que me atendeu perguntou se eu levei chutes. Mas não posso acusar sem provas. Não me lembro de nada”, disse ela. Quem socorreu a deputada foi seu marido, o neurocirurgião Daniel França, que costuma passar os fins de semana em Brasília.

Na terça-feira (20), Joice relatou o fato ao presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e falou sobre sua suspeita. “Já estou em contato com a Polícia Legislativa. Eles vão investigar o caso e solicitarão as imagens das câmeras do prédio para analisar a movimentação. Já fiz esse pedido aos policiais. Amanhã eu prestarei depoimento e indicarei testemunhas, como meu marido, funcionários da casa e porteiros do prédio”, afirmou.

Segurança e arma
Após o ocorrido, Joice levou para Brasília seu segurança particular e não dorme mais sozinha no apartamento. Dois funcionários passaram a ficar em sua residência na capital federal. Ela também trocou as fechaduras e disse que vai andar armada. “Só preciso fazer a prova de tiro para ter a minha posse de arma. Comprei uma pistola Glock e ela não vai sair do meu lado, nem na hora de dormir”, acrescentou. As informações são da revista Fórum.

Etiquetas

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios