CidadesCuriosidadesMenu Principal

Caetano rebate Souto sobre finanças da Bahia: “Por que não fez enquanto foi governador?”

caetano
Luiz Caetano é pré-candidato a deputado federal | FOTO: Reprodução |

O pré-candidato a deputado federal, Luiz Caetano, rebateu a declaração do ex-governador da Bahia e pré-candidato à sucessão do governo estadual, Paulo Souto (DEM), que considera a organização das finanças do estado como “cronicamente desequilibradas”. A avaliação foi feita em uma entrevista para uma rádio do interior, na manhã desta quinta-feira (24). Para Caetano, a afirmação do Souto não passa de um discurso vazio e repetitivo. “Falar é fácil. Por que não estabilizou as finanças enquanto esteve à frente do governo? Ele deixou o estado quebrado, sem capacidade de envidamento e não tem respaldo para falar de contas, uma vez que foi um péssimo gestor para a Bahia”, pontuou.

Ainda de acordo com o ex-prefeito de Camaçari, durante o mandato de dois anos como deputado estadual, conviveu com falta de diálogo e arbitrariedade impostas pelo democrata, o então governador da época.”Não atendia os prefeitos e deputados, mesmo os da base aliada. Enfrentei esse debate por várias vezes e, sequer, tínhamos acesso às contas públicas para que pudéssemos fiscalizá-las”, ressaltou.

De acordo com dados de relatórios do Tribunal de Contas do Estado da Bahia, a gestão de Paulo Souto foi notificada por extrapolar o limite de gastos do estado, com fundamento na Lei de Responsabilidade Fiscal. Embora a legislação estabeleça 11,5% da receita líquida corrente para amortização de débitos, o percentual superou o estipulado e chegou a 16,75%. A situação da dívida pública da gestão do ex-governador, entre os anos de 2002 e 2006, foi considerada irregularidade gravíssima e exorbitante, com base nas normas do Senado Federal e Secretaria do Tesouro Nacional.

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios
Pular para a barra de ferramentas