Chapada: Fecularia e cooperativa garantem aumento da renda de agricultores rurais de Andaraí

Postado em out 23 2014 - 1:11pm por Jornal da Chapada
inau

Inauguração de sede da cooperativa de produtores rurais e de fecularia em Andaraí | FOTO: Manu Dias/GOVBA |

Cerca de 1.300 agricultores familiares do município de Andaraí, na Chapada Diamantina, vão aumentar a renda com a entrega realizada na manhã desta quinta-feira (23), pelo governador Jaques Wagner, de uma fecularia – pequena agroindústria para o beneficiamento da mandioca – e da sede da Cooperativa de Produtores Rurais (Coopran). Na solenidade, com a presença da primeira-dama do Estado, Fátima Mendonça, os produtores também receberam manivas para renovar a plantação de mandioca em suas propriedades.

“Este é o caminho. Nós temos muita gente trabalhando com a agricultura familiar e, se o pequeno produtor vende a sua produção in natura, ele se apropria de muito pouco. Quando se verticaliza a produção, como estamos fazendo aqui, passamos a ter farinha, beiju, polvilho, fécula de mandioca, [e] o valor apropriado vai crescer muito”, afirmou Wagner. De acordo com ele, “ações desta natureza proporcionam dignidade e cidadania para esta parte da população, que se organiza em cooperativas”.

O governador informa que, nos últimos oito anos, vêm sendo entregues diversos equipamentos como a fecularia. “Todas as regiões do estado foram beneficiadas, melhorando a cadeia produtiva do chocolate, umbu, artesanato, leite, mel e caju. Uma pequena agroindústria familiar como esta multiplica a renda das pessoas”.

wagner

O governador Jaques Wagner durante evento na Chapada Diamantina | FOTO: Manu Dias/GOVBA |

Aproveitamento total
O presidente da Associação de Produtores Rurais Rio Utinga, Adriano Galeano, afirma que toda produção dos agricultores da região abastecia apenas a população local. Agora, com a instalação da fecularia, poderão vender para outras cidades. “Com a pequena agroindústria, fazemos beiju, farinha de mandioca, polvilho e fécula. Aproveitamos tudo da planta. A casca e a folha servem para ração, e são ricas em proteína. A água serve como adubo e inseticida”.

Adriano informa que a associação cultiva três hectares irrigados. Com a irrigação e a assistência técnica da Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola (EBDA), vinculada à Secretaria da Agricultura (Seagri), eles conseguem 25 toneladas por hectare, onde a produção normal seria de 18 toneladas. “Uma tonelada de mandioca se transforma em cinco sacos de farinha de 60 quilos, e o preço do saco está por cerca de R$ 100. Sem a fecularia, o produtor perde até 50% do valor da produção. Agora nosso lucro vai dobrar”.

Mil hectares cultivados
Segundo a chefe do escritório da EBDA em Andaraí, Sulamita Sena, a expectativa é que, em 2015, o município tenha cerca de mil hectares destinados ao cultivo da mandioca, tanto em terrenos irrigados quanto no sequeiro. “A EBDA está produzindo as sementes para estes trabalhadores e temos também o programa Reniva. Agora, com a fecularia e a formação da cooperativa, haverá grande avanço em Andaraí”.

<!–

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.