Pular para a barra de ferramentas
AssessoriaCidadesCuriosidadesMenu Principal

Vereador quer debate político em 2015 com mais participação dos movimentos sociais

suica
Suíca lembrou do movimento de junho de 2013, que deu legitimidade aos movimentos sindicais e sociais de se mobilizarem e lutarem pelos seus direitos | FOTO: Reprodução |

A reforma política não sai da pauta dos partidos de esquerda nem dos movimentos sociais e deve dominar os debates no próximo ano. É o que acredita o vereador de Salvador Luiz Carlos Suíca (PT), que se pronunciou nesta terça-feira (23) a respeito das decisões políticas que o PT e o governo da presidente Dilma devem tomar para conter os ataques da oposição. Para o edil, os políticos opositores no Congresso Nacional “estão prestando um desserviço à população brasileira ao atacar a Petrobrás da maneira que vêm fazendo. Se tiver culpados devem ser responsabilizados, mas a tentativa é de enfraquecer a maior empresa pública da América Latina para atingir o governo de Dilma, e não para esclarecer o caso, isso é notório”, dispara o petista. Suíca acredita que cada militante deve assumir essa bandeira de defender a empresa e de pressionar a justiça para que os culpados sejam apresentados, o que para ele “evitaria todas essas acusações infundadas de uma direita confusa e raivosa”.

O vereador também lembrou do movimento de junho de 2013, que deu legitimidade aos movimentos sindicais e sociais de se mobilizarem e lutarem pelos seus direitos. “Devemos ampliar esses debates sobre a reforma política em 2015 e questionar o sistema político vigente no nosso país. Acredito que se não fizermos a reforma vamos continuar dando murro em ponta de faca, sobretudo se as eleições continuarem sendo marcadas por dinheiro de capital privado. Nesse contexto, no final das contas, a população é que sai prejudicada, já que o político eleito não cumpre suas promessas, muito as vezes, por está atrelado às dívidas ‘conquistas’ durante a campanha – por causa do apoio de determinada empresa”. Ainda de acordo com Suíca, tanto o governador Rui Costa como a presidente Dilma Rousseff devem gerir a democracia com a aplicação da lei. “Vamos seguir com a mesma transparência na administração, com os diálogos com os movimentos, com participação popular, ética e combatendo corrupção”.

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios