Vila de Igatu compõe paisagem da Feira Literária de Mucugê 2017; confira programação

Postado em ago 3 2017 - 7:39pm por Jornal da Chapada
foto

O artista plástico Marcos Zacariades inseriu a Galeria Arte & Memória dentro da programação da Fligê com mesa de conversa, exibição de filmes e leitura de poemas | FOTO: Montagem do JC |

As belezas naturais e arquitetônicas colocaram a Chapada Diamantina como destino de muitos roteiros turísticos. São diversas opções de lazer que abrangem desde o turismo de aventura (trilhas e banhos de cachoeira) até o cultural (visita a museus). No meio de tantos e belíssimos cenários, dois municípios foram escolhidos para a realização da 2ª edição da Feira Literária de Mucugê. Igreja, Centro Cultural, Cemitério, Praças e Casarões históricos de Mucugê vão receber diversas atividades como conferências, mesas de conversa, lançamento de livros, concertos e muito mais.

Em Andaraí, mais especificamente no distrito de Igatu, o atrativo fica por conta do lançamento do Projeto de Leitura Pipoca Moderna e do Evento Literário na Galeria Arte & Memória, com o tema “Literatura e Resistência”. Conhecida como a vila de pedra da Chapada, com suas ruínas e casario de pedra datadas do século XIX, dos tempos áureos do garimpo e do ciclo do diamante, Igatu integra a programação com diferentes atividades, no sábado, 12 de agosto.

Às 14 horas, na praça, acontece o lançamento do Pipoca Moderna. O projeto consiste na exposição e distribuição de livros literários num veículo nos moldes de um Carrinho de Pipoca, que será disposto na Praça de Igatu, numa iniciativa do corpo de professores e estudantes da Escola Municipal Eurico Costa e amigos de Igatu, objetivando o estimulo à leitura dos moradores e visitantes da vila.

A partir das 17 horas, o evento se inicia marcando as atividades de abertura das comemorações dos 15 anos da Galeria Arte & Memória. Responsável pelo espaço, o artista plástico Marcos Zacariades inseriu o local dentro da programação da Fligê com mesa de conversa, exibição de filmes e leitura de poemas. Ele introduzirá uma reflexão sobre o tema escolhido que dará o tom de toda a atividade na galeria: “Literatura e Resistência”.

“A escolha se deu por estarmos num momento muito polarizado e para dar abertura a outras vozes e questões como a resistência negra, LGBT, feminista, indígena ou política”, esclarece Zacariades. Na sequência será exibido um pequeno trecho do documentário ‘Panair do Brasil’, sobre um texto de Carlos Drummond de Andrade acerca do leilão dos objetos e restos da maior empresa aérea brasileira, extinta por decreto na ditadura militar.

Galeria Arte & Memória

Este slideshow necessita de JavaScript.

Dentro da programação também está prevista a exibição de uma Vídeo-Palestra do escritor e deputado federal Jean Wyllys, seguido de um clipe produzido a partir do texto “Sabem do que são feitos os direitos, meus jovens? Sentem o seu cheiro?”, da juíza federal Raquel Domingues do Amaral, com imagens de fatos históricos e grandes líderes de movimentos a exemplo de Mandela, Ângela Davis, Martin Luther King, Olga Benário, Harvey Milk, Malcolm X, Leila Diniz e anônimos manifestantes de rua. Recitado por Maria Bethânia no seu Caderno de Poesia 1, o poema “Águas e Mágoas do Rio São Francisco”, de Carlos Drummond de Andrade, também será projetado.

Dando sequência ás exibições, uma equipe da Escola de Igatu realizará uma leitura de poemas e a apresentação do que o Pipoca Moderna mostrou na praça do distrito com imagens do dia e a interação do público com o projeto. Encerrando as atividades da Fligê na Galeria, a escritora Ângela Vilma participará da Conversa Literária com o tema “Literatura e Resistência”. Nos curtos intervalos, haverá ainda, um grupo de estudantes da Escola Eurico Costa oferecendo um Sussurro Literário ao pé do ouvido dos expectadores.

Além de todas as atividades, os visitantes poderão interagir recitando ou lendo poemas relacionados ao tema do evento na Batéia Literária , ao mesmo tempo em que contempla o pequeno acervo do museu a céu aberto que é a Galeria Arte & Memória, onde é possível conhecer os utensílios do tempo do garimpo e ver, temporariamente, pinturas e objetos da artista plástica Mili Genestreti, na exposição intitulada Ponto de Mutação.

A Feira Literária de Mucugê é uma realização do Coletivo Lavra em parceria com a Prefeitura Municipal de Mucugê e o Instituto Incluso, com apoio financeiro do Ministério da Cultura (MinC), do Governo do Estado da Bahia – Terra-Mãe do Brasil, através da Secretaria de Cultura (Secult), Secretaria da Fazenda (Sefaz). Acesse o site da Fligê www.flige.com.br para mais informações.

Serviço
O quê: 2ª Feira Literária de Mucugê.
Quando: de 10 a 13 de agosto.
Onde: Centro Cultural (Clube), Colégio Horácio Matos, Casa da Filarmônica, Pç. Cel. Propércio (Calçadão), Cesta do Povo, Espaço Academia, Museu e Centro Histórico de Mucugê.
Entrada gratuita.

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

1 Comentário Sinta-se livre para participar desta conversa.

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.