Combate ao aedes aegypti deve ser intensificado no Verão; veja dicas para evitar focos do mosquito

Postado em jan 14 2019 - 1:54pm por Jornal da Chapada
capa

É preciso evitar focos do mosquito transmissor da dengue, chikungunya e zika e ficar alerta aos sintomas | FOTO: Divulgação |

Frequentes e cada vez mais intensas, as chuvas de Verão aumentam os focos do Aedes aegypti, transmissor da dengue, chikungunya e Zika. Especialistas da Central Nacional Unimed – maior operadora de planos de saúde do Sistema Unimed – alertam para a importância de intensificar os cuidados com o combate ao mosquito e a prevenção dessas doenças virais. Isso porque o clima quente e as chuvas favorecem a reprodução do mosquito.

De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde da Bahia (Sesab/Nov. 2018), em 2018 foram registrados 8.760 casos suspeitos de dengue, 4.080 de chikungunya e 1.296 casos suspeitos de zika. Evitar o acúmulo de água é uma medida eficaz para a prevenção dessas doenças. Qualquer local pode se tornar criadouro do mosquito, uma vez que a fêmea deposita os ovos e depois os distribui por diversos outros locais.

Porém, o risco maior está no acúmulo de água em calhas, pneus, vasos e garrafas com água parada e limpa. “A reprodução do mosquito é rápida, leva aproximadamente uma semana, o que colabora para o aumento no número de casos”, alerta o médico de família e comunidade, Marlon Chagas Magalhães, da clínica de Atenção Integral à Saúde da Central Nacional Unimed em Salvador.

Ele explica que, no longo prazo, as doenças transmitidas pelo Aedes aegypti podem trazer consequências graves, a exemplo de dores incapacitantes, microcefalia em bebês e até mesmo a morte. Por isso o combate ao mosquito é a forma mais eficiente de prevenção.

“Cada doença se manifesta de forma diferente e a picada indolor do mosquito atrasa o diagnóstico. Justamente por isso, é recomendável ficar alerta para alguns sintomas (febre alta, dor de cabeça, dores pelo corpo, indisposição, dores nas articulações, náuseas, manchas na pele, vermelhidão nos olhos) e procurar um médico”, orienta o médico de família e comunidade. As informações são de assessoria.

Dicas para evitar focos do mosquito dentro de casa
1 – Limpeza dos recipientes
Objetos com bordas ou buracos que acumulam água devem ser lavados toda semana com sabão e bucha. Os possíveis focos do mosquito – pratinhos dos vasos de plantas – devem ser preenchidos com areia ou cobertos com lonas bem esticadas, para evitar a formação de poças.

2 – O que fazer com larvas
As larvas do Aedes aegypti devem ser descartadas na terra ou no chão seco, já que elas precisam da água para se desenvolver.

3 – Produtos de limpeza
Produtos de limpeza, como sabão em pó, detergente, desinfetante e cloro de piscina, podem ser usados para limpar recipientes com larvas.

4 – Água sanitária
A água sanitária também é uma opção para limpar os objetos e criadouros potenciais, porém o produto não é recomendado para potes que são de uso doméstico ou animal, uma vez que qualquer resíduo faz mal ao organismo.

5 – Inspeção periódica
Para garantir que a casa esteja sempre protegida, é necessário fazer inspeção periódica. Recipientes que podem acumular água devem ser guardados de cabeça para baixo. Esse tipo de cuidado é fundamental, porque os ovos do mosquito podem viver mais de um ano no ambiente seco.

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.