CidadesCuriosidadesEditorialMenu Principal
Trending

#Bahia: Marcelinho defende ampliar atendimento a trabalhadores resgatados em condições análogas à escravidão

O parlamentar comentou o Projeto de Ação Integrada (PAI), que identificou o perfil socioeconômico e profissional de duas dezenas de trabalhadores resgatados na região sisaleira.

Ampliação do atendimento socioassistencial na Bahia para trabalhadores que foram resgatados em condições análogas à escravidão foi defendida pelo deputado estadual Marcelinho Veiga (PSB) nesta sexta-feira (4). O parlamentar comentou o Projeto de Ação Integrada (PAI), que identificou o perfil socioeconômico e profissional de duas dezenas de trabalhadores resgatados na região sisaleira, e defendeu a criação de políticas públicas para ajudar na reinserção ao mercado de trabalho, e uma parceria entre estado e município.

“É de fundamental importância que o estado amplie essa ação com as vítimas de trabalho escravo. Um grupo formado por membros de diferentes pastas estaduais e com profissionais de psicologia e assistência social ajudam a reinserir essas pessoas no mercado de trabalho ou encaminhar para programas sociais”, frisa Marcelinho. A ação realizada essa semana foi das Secretarias Estaduais de Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre) e de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS).

Os trabalhadores atuavam nos municípios de Jacobina, Várzea Nova e São José do Jacuípe e foram atendidos para ajudar na transformação social, educacional e econômica deles. “Essa equipe do governo, com a rede de assistência social, sindicatos dos trabalhadores rurais e associações realizou reuniões e explicou o ciclo de trabalho escravo e as suas implicações. Uma parceria entre os municípios e o governo estadual deve ser ampliada para implementação de políticas públicas de atendimento a esses trabalhadores”, completa Marcelinho. As informações são de assessoria.

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios