Lava Jato: Juiz pede autorização ao STF para efetivar prisão de ex-deputado

Postado em abr 10 2015 - 3:40pm por Jornal da Chapada
juiz

Sérgio Moro pede ao STF autorização para prender Pedro Côrrea e transferi-lo para a carceragem da Polícia Federal, em Curitiba | FOTO: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil |

O juiz federal Sérgio Moro, responsável pelas investigações da Operação Lava Jato, pediu nesta sexta-feira (10) ao Supremo Tribunal Federal (STF) autorização para efetivar o mandado de prisão e transferir o ex-deputado federal Pedro Corrêa (PP) para a carceragem da Polícia Federal, em Curitiba. Corrêa teve mandado de prisão expedido nesta manhã na 11ª fase da Lava Jato, mas cumpre pena em regime semiaberto, em Pernambuco, pela condenação na Ação Penal 470, o Processo do Mensalão. O pedido de autorização foi remetido ao ministro Luís Roberto Barroso, responsável pela execuções penais do condenados no processo.

Leia também:
Prisão de Luiz Argôlo assombra mundo político baiano
Urgente: Ex-deputado Luiz Argôlo é preso pela PF em nova fase da Lava Jato
Nova fase da Lava Jato investiga fraudes em contratos da Saúde e da Caixa
Solidariedade da Bahia decide suspender as atividades partidárias de Luiz Argôlo

“Considerando que o investigado cumpre pena em virtude de condenação desse Supremo Tribunal Federal, solicito autorização para o cumprimento do mandado de prisão, bem como para a remoção de Pedro da Silva Corrêa de Oliveira Andrade Neto para a carceragem da Polícia Federal em Curitiba”, diz o pedido do juiz. No despacho em que determinou a prisão, Moro disse que Pedro Corrêa é recorrente em escândalos políticos. O juiz fundamentou a ordem de prisão no risco à ordem pública e disse que há indícios que o ex-deputado continuou recebendo propina do esquema de desvios da Petrobras, mesmo durante o julgamento da Ação Penal do Mensalão, no STF.

Segundo Moro, a conduta de Corrêa mostra “desprezo” às leis e ao Supremo. “A prova do recebimento de propina mesmo durante o processamento da Ação Penal 470 reforça os indícios de profissionalismo e habitualidade na prática do crime, recomendando, mais uma vez, a prisão para prevenir risco à ordem pública.”, disse Moro. A defesa de Corrêa afirmou que não vai se manifestar até tomar conhecimento das acusações. Da Agência Brasil.

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.