CidadesCuriosidadesMenu PrincipalPolítica

Processo conduzido por Cunha foi ilegal, diz Valmir sobre anulação de impeachment

agencia
O parlamentar baiano, Valmir Assunção (PT-BA) | FOTO: Agência Câmara |

A decisão do presidente da Câmara Federal, deputado Waldir Maranhão (PP-MA) mexeu com toda a estrutura política do país nesta segunda-feira (9). O parlamentar baiano, Valmir Assunção (PT-BA), por exemplo, é um dos políticos que destaca a decisão como “coerente e que comprova os atos ilegais e ilícitos praticados por Eduardo Cunha (PMDB-RJ), durante sua passagem pela Casa Legislativa”.

“O que Maranhão fez foi demonstrar que Cunha montou um esquema para depor a presidente Dilma. E atestou o que todo mundo já sabia, o processo coordenado por Eduardo Cunha era um golpe à democracia. Nasceu de uma chantagem, rasga a Constituição e fere de morte a democracia brasileira. O processo foi conduzido com desvio de poder, afrontando a Carta Magna, por isso chamamos esse processo de impedimento de golpe”, frisa Valmir.

A decisão do presidente Waldir Maranhão anulou as sessões dos dias 15, 16 e 17 de abril, quando os parlamentares federais aprovaram a continuidade do processo de impeachment da presidente Dilma. Maranhão acatou um pedido formulado pela Advocacia-Geral da União (AGU). “Essa decisão fortalece a democracia e restabelece a ordem no país”, completa.

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios