#Bahia: Investimentos ampliam eficiência da Central Estadual de Regulação no estado

Postado em dez 20 2018 - 12:40pm por Jornal da Chapada
capa23

A redução do tempo para o atendimento das solicitações que chegam até a CER é um dos reflexos da maior eficiência do trabalho da Central | FOTO: Montagem do JC/Sesab |

Em 2018, até o mês de novembro, a Central Estadual de Regulação (CER) registrou quase 80 mil solicitações atendidas, número maior que o computado em todo ano de 2017, quando foram 57 mil atendimentos. Esse resultado pode ser alcançado graças ao investimento que tem sido feito pela Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) na estrutura da CER e também na expansão da rede de assistência.

A redução do tempo para o atendimento das solicitações que chegam até a CER é um dos reflexos da maior eficiência do trabalho da Central. Um exemplo são os casos de ortopedia, que em outubro de 2018 teve a média de espera de 2,7 dias, menos que a metade do tempo de outubro de 2017, quando chegava a 5,7 dias. Para cateterismo cardíaco, se comparado o mês de outubro de 2017 com o mesmo mês de 2018, a média de tempo de espera reduziu de 11,8 dias para 3,5.

De acordo com o secretário da Saúde do Estado, Fábio Vilas-Boas, os problemas foram levantados e estão sendo resolvidos. “Identificamos falta de informatização na CER e nas unidades hospitalares, falta de recursos humanos, dentre outros problemas. Para cada questão, fizemos um plano de trabalho e estamos conseguindo resolver”, afirmou o secretário. De acordo com Fábio Vilas-Boas, a CER já consegue hoje atender 100% da demanda diária da rede. “Ainda existe um passivo e estamos desenvolvendo ações para que seja resolvido”, esclarece.

A diretora de Regulação, Rita de Cássia, explica que uma das funções da regulação é a ordenação e qualificação dos fluxos de acesso às ações e serviços de saúde, de modo a otimizar a utilização dos recursos assistenciais disponíveis e promover a transparência, a integralidade e a equidade no acesso às ações e aos serviços, em tempo oportuno, dispondo, para tal, entre outros instrumentos, de diretrizes operacionais e protocolos.

“A regulação de pacientes é uma ferramenta de democratização do acesso, onde uma pessoa de Barreiras, por exemplo, tem o mesmo direito a ser internado no Hospital Geral do Estado (HGE), em Salvador, do que um paciente que está na emergência do hospital. A decisão de internação, portanto, é sempre pautada na gravidade do caso e não pela proximidade”, explica a diretora.

Expansão da rede
Um dos fatores que tem contribuído de forma decisiva na evolução do trabalho da CER é a expansão de rede de atendimento. Entre janeiro de 2015 e julho de 2018, foram implantados 1.524 novos leitos hospitalares na Bahia, distribuídos em forma de rede direta, indireta e por meio de contratos. Com a ampliação de serviços e descentralização, a assistência à saúde se torna cada vez mais especializada, célere e aprimorada.

Outra ação é a ‘desospitalização’ de pacientes crônicos como estratégia para que se disponibilizem mais leitos para a população baiana. Com a implantação de leitos para a internação em domicílio, já foram retirados 600 pacientes dos hospitais, que continuam seu tratamento em casa. As informações são da Sesab.

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.