CidadesCuriosidadesEditorialMenu Principal

“Governo está obrigando o povo a comer e beber veneno”, dispara Marcelo Veiga sobre agrotóxicos

“Ao menos três desses venenos liberados são polêmicos, como o glifosato, que é associado a um tipo de câncer em processos bilionários nos Estados Unidos”, diz o deputado | FOTO: Jonas Santos |

O deputado estadual Marcelo Veiga (PSB) não poupou críticas sobre a liberação de mais 31 agrotóxicos pelo atual governo federal, via Ministério da Agricultura. Nesta quinta-feira (23), o parlamentar que é vice-líder do governo Rui Costa (PT) na Assembleia Legislativa da Bahia (Alba) disse que o governo de Jair Bolsonaro (PSL) está “perdido, sem programa de gestão e totalmente à deriva”. Marcelo lembra que somente esse ano foram liberados 169 produtos químicos nocivos ao ser humano.

“Esse governo está enchendo a mesa do povo com veneno, obrigando a gente a comer e beber veneno. Mais de 500 foram liberados de 2018 até os dias atuais. Isso preocupa ambientalistas e profissionais da saúde, principalmente quem produz alimento livre de agrotóxicos. O povo pobre é que sabe produzir alimentos orgânicos e são esses alimentos que devem preencher a mesa das casas das famílias brasileiras. Na Bahia, temos mais de 600 mil agricultores familiares que fazem esse papel”, informa o deputado.

Marcelo diz que o governo Bolsonaro deveria se espelhar em projetos para o pequeno produtor e não para os grandes que têm como ter investimentos via capital privado ou mais fácil via órgão público. Ele critica a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que avalia os riscos à saúde, e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama), que analisa os perigos ambientais, dizendo que ambos nada fizeram para frear a liberação. “Ao menos três desses venenos liberados são polêmicos, como o glifosato, que é associado a um tipo de câncer em processos bilionários nos Estados Unidos”, finaliza.

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios
Pular para a barra de ferramentas