CidadesCuriosidadesMenu PrincipalSaúde
Trending

#Brasil: Médico infectologista alerta que o novo coronavírus “vai explodir no país”; 136 casos confirmados

O médico também diz que os cuidados maiores devem ser com idosos: "Pessoas muito idosas não devem se expôr de jeito nenhum".

Um áudio do médico Fábio Jatene, professor da Universidade de São Paulo (USP) e diretor do Instituto do Coração (Incor), passou a circular nas redes sociais com relatos sobre uma reunião científica no próprio Incor com outras autoridades da área da saúde para discutir a pandemia do coronavírus. No áudio, Jatene relata um alerta do infectologista David Uip, ex-secretário da Saúde do estado de São Paulo, sobre o crescimento geral de infectados no Brasil a partir de agora. Ao total, o Brasil tem 136 casos confirmados e um aguarda contraprova.

David Uip, médico infectologista, participou de coletiva em São Paulo | FOTO: Divulgação |

“O David disse que a partir de hoje os casos vão explodir no Brasil, porque já passou a ter a transmissão comunitária. Não é quem foi viajar. Agora quem não foi viajar já está passando para o outro”, contou Jatene. Em outro trecho, Jatene conta que Uip estipulou um prazo de quatro meses para que a doença comece a ser controlada no país, mas que estados ainda vão enfrentar picos do surto. “David também disse que, nos próximos 4 meses, na Grande São Paulo, serão 45 mil casos. Vão precisar de UTI de 10 a 12 mil casos, e não tem 10 mil leitos de UTI disponíveis”, comenta.

O médico também diz que os cuidados maiores devem ser com idosos. “Pessoas de idade, pessoas muito idosas não devem se expôr de jeito nenhum, reduzir ao máximo a possibilidade de contágio. [David Uip] disse que nos velhinhos a mortalidade tem chegado a 15%, 18%. Nos jovens, a 0,2%”, disse. No áudio, Jatene também revela detalhes sobre o comportamento do coronavírus no organismo humano. “Essa é uma doença que tem a transmissão de 1 caso para 2, 3 pacientes, as vezes 4. O problema é que, uma vez que a doença se instala, o pico de piora é rápido, entre 5 e 7 dias. O ideal é entubar o doente o mais rápido possível, para diminuir a transmissão”, finaliza. Com informações da Revista Fórum.

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios