CidadesCuriosidadesMenu PrincipalSaúde
Trending

#Brasil: A cada cinco grávidas mortas pela covid-19 no país, uma não teve acesso a UTI; 33% nem chegaram a ser intubada

Nos primeiro cinco meses e meio de 2021, o observatório contou 959 óbitos, ou seja, 11,7% a mais do que 2020 inteiro - com 453 ocorrências.  

Um estudo feito pelo Observatório Obstétrico Brasileiro Covid-19 (OOBr Covid-19) percebeu que a cada cinco gestantes ou puérperas (mães que acabaram de dar a luz) mortas pela Covid-19, uma delas não teve acesso a uma Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), algo que poderia ter salvo a vidas delas. Em 33% dos óbitos, as vítimas não chegaram nem a ser intubadas com ventilação mecânica.

Os dados compilados nesta sexta-feira (18), com base em dados do Ministério da Saúde, revelam que 1.412 gestantes e puérperas perderam a batalha contra a doença. Nos primeiro cinco meses e meio de 2021, o observatório contou 959 óbitos, ou seja, 11,7% a mais do que 2020 inteiro – com 453 ocorrências.  

A letalidade da doença neste público também teve um grande aumento neste ano: o índice saltou de 7.4% em 2020 para 17% em 2021. “Desde o início da pandemia, uma a cada cinco gestantes e puérperas que faleceram por SARS-CoV-2 não teve acesso a unidades de terapia intensiva (UTI) e 33% não foram intubadas – o derradeiro recurso terapêutico que poderia salvá-las”, diz a nota.

Além das 1.412 vítimas fatais, o observatório ressaltou ainda que outros 11.785 de registros de gestantes e puérperas com Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) não especificada, com 296 mortes, na avaliação dos pesquisadores, podem ser também episódios de Covid-19.

O OOBr Covid-19 foi criado e é mantido por Rossana Pulcineli Vieira Francisco, docente do Departamento de Obstetrícia e Ginecologia da Faculdade de Medicina da USP e presidente da SOGESP, Agatha Rodrigues, docente do Departamento de Estatística da UFES, e Lucas Lacerda, estudante de graduação em Estatística na UFES. As informações são de assessoria.

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios