Pular para a barra de ferramentas
CidadesCuriosidadesMenu Principal

Olimpíadas envolvendo astronomia prorrogam inscrições até 31 de março

foto
Os melhores classificados representarão o país nas olimpíadas Internacional de Astronomia e Astrofísica e Latino-Americana de Astronomia e Astronáutica de 2016 | FOTO: Divulgação |

A Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA) e a Mostra Brasileira de Foguetes (MOBFOG) prorrogaram as inscrições até o dia 31 de março. Ambas são voltadas para os estudantes de ensinos fundamental e médio de escolas públicas e particulares de todo o país. Instituições que ainda não participam podem se cadastrar pelo site (http://www.oba.org.br) ou por meio das fichas enviadas pela organização.

Sobre a OBA
A prova da OBA acontece no dia 15 de maio. O exame é aplicado na própria escola. A olimpíada é dividida em quatro níveis – os três primeiros são para alunos do ensino fundamental e o quarto, para os do médio – e a prova é composta por dez perguntas: sete de Astronomia e três de Astronáutica. A maioria das questões é de raciocínio lógico. As medalhas serão distribuídas conforme a pontuação obtida.

Os melhores classificados representarão o país nas olimpíadas Internacional de Astronomia e Astrofísica e Latino-Americana de Astronomia e Astronáutica de 2016. E os participantes dessa edição vão ainda concorrer a vagas nas Jornadas Espaciais, que acontecem em São José dos Campos (SP) e em Natal (RN). Nelas, os alunos recebem material didático e assistem a palestras de especialistas.

Sobre os foguetes
Já a MOBFOG avalia a capacidade dos estudantes de construir e lançar, o mais longe possível, foguetes feitos de garrafa pet, de tubo de papel ou de canudo de refrigerante. Os alunos do nível 1 (do primeiro ao terceiro anos do ensino fundamental) lançam foguetes construídos com canudinhos de refrigerantes. Os do nível 2 (do 4º ao 5º anos do EF) elaboram com tubinhos de papel. Já os alunos do nível 3 (do 6º ao 9º anos) constroem foguetes com garrafas PET, mas usam somente água e ar comprimido para lançá-los. Os alunos do ensino médio também fazem um modelo com garrafa PET, mas com um elemento mais complexo, o combustível é constituído de vinagre e bicarbonato de sódio.

Os foguetes devem ser elaborados e lançados individualmente ou em equipe. Após o dia 15 de maio (data da prova da OBA), a instituição deverá informar os nomes e notas dos participantes da OBA e os alcances obtidos pelos foguetes daqueles que participaram da MOBFOG. No final, todos, incluindo professores e diretores, recebem um certificado e os estudantes que alcançarem os melhores resultados receberão medalhas.

Os estudantes do ensino médio que se destacarem na MOBFOG serão convidados para a Jornada de Foguetes. Além de palestras com especialistas, nesse evento, os participantes vão apresentar e lançar seus foguetes diante de uma comissão julgadora. Os vencedores receberão material didático e um troféu. Segundo Canalle, a iniciativa não tem a intenção de criar rivalidade entre escolas ou promover competição entre cidades ou estados: “Queremos promover a disseminação dos conhecimentos básicos de forma lúdica e cooperativa entre professores e alunos, além de mantê-los atualizados”.

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios