Chapada: Sindicato de servidores de Piritiba volta a denunciar prefeito por atraso e corte salarial

Postado em ago 13 2015 - 8:11pm por Jornal da Chapada
foto

Segundo a presidente do Sindsemp, Cleide Nascimento, muitos servidores estão com salários atrasados e os professores que emitem sua opinião recebem corte exorbitante nos vencimentos | FOTO: Divulgação |

O Jornal da Chapada recebeu mais uma denúncia da situação preocupante que se encontra a Educação no município de Piritiba, na Chapada Diamantina. A diretoria do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Piritiba (Sindsemp) informou que a maioria dos servidores educacionais ainda não recebeu o salário do mês de julho e que ainda houve cortes abusivos nos salários dos professores.

A diretoria do Sindsemp elenca também a pauta de reivindicação da categoria que ainda não foi atendida pela gestão municipal. Nos itens, o sindicato solicita uma resolução para a falta constante de alimentação e transporte escolar (por falta de pagamento dos motoristas), para a ausência de diálogo com os trabalhadores da Educação, para a falta de estrutura nas escolas e condições dignas de trabalho. A categoria também denuncia o descumprimento das Leis 755/08, 760/08 e 11738/08, e o desrespeito e perseguição com os profissionais.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Segundo a presidente do Sindsemp, Cleide Nascimento, “muitos servidores estão com salários atrasados e os professores que emitem sua opinião recebem corte exorbitante no salário com o único objetivo de intimidar, calar e silenciar a categoria”. Nascimento continua as denúncias, cobrando soluções do prefeito de Piritiba, Ivan Silva Cedraz (PSB) e da secretária de Educação, Eletice Gomes Belas.

“Hoje, temos funcionários concursados sem receber salário do mês de julho e ainda muitos destes sendo coagidos e humilhados, a saúde precária, pois muitos serviços estão suspensos e profissionais foram demitidos, falta remédio na farmácia básica, limpeza nas vias públicas e iluminação. Como se nada mais bastasse, o prefeito proibiu a guarda particular de trabalhar. Sendo que a mesma é mantida pelos moradores da cidade que paga um valor irrisório, mas o prefeito proibiu como se a cidade fosse uma propriedade dele”, delata Cleide.

Jornal da Chapada

Leia também:
Chapada: Servidores de Piritiba declaram greve e param atividades na segunda
Chapada: Educadores de Piritiba continuam em greve; prefeitura deve abrir diálogo
Chapada: Educadores de Piritiba paralisam as atividades pela segunda vez por reajustes salariais
Chapada: Professores param atividades e sindicato denuncia falta de alimentação escolar em Piritiba
Chapada: Professores param em Piritiba e pedem reajuste salarial
Chapada: Educadores em Piritiba detonam jornada pedagógica e pedem respeito aos direitos da categoria
Chapada: Sindicato acusa prefeito de Piritiba de perseguir e ameaçar servidores
Chapada: Motoristas param as atividades e alunos da rede de ensino em Piritiba ficam sem transporte

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

1 Comentário Sinta-se livre para participar desta conversa.

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.