Incêndios na Chapada Diamantina mobilizam pessoas em todo o estado

Postado em dez 16 2015 - 5:55pm por Jornal da Chapada
foto5

Pessoas que nasceram, vivem, trabalham e visitam a Chapada Diamantina têm deixado declarações de apoio, força e esperança | FOTO: Divulgação/Cris Mendez |

Os incêndios que consomem a fauna e a flora na região da Chapada Diamantina há cerca de 50 dias têm mobilizado não só moradores e cidadãos das localidades atingidas, mas pessoas em todo o estado e do país. Na capital, artistas se reuniram e criaram o evento “A-Tributo: Festival pela Chapada”, com apresentação musical que acontece na próxima quarta-feira (23), no Pelourinho, em Salvador. Toda a renda do evento será revertida para a compra de equipamentos para as brigadas.

A banda ‘Os My Friends’, que tocará músicas de Tim Maia no A-Tributo afirmou em nota, através das redes sociais, que “acontecerá um movimento positivo, prático e determinante em prol de levantar recursos para os brigadistas combatentes do fogo na Chapada Diamantina. Nossa contribuição é música e entretenimento, a de vocês será a presença, vibrando junto e pagando o ingresso que custa 20 reais”.

foto5

‘Os My Friends’ emitiram nota convocando seus seguidores para o show em Salvador | FOTO: Reprodução/Facebook |

Leia também:
Fogo na Chapada: Incêndio em Jacobina avança e atinge distritos da região

Rui Costa determina manutenção de efetivo no combate aos incêndios na Chapada Diamantina

Brigadistas da Defesa Civil Nacional já estão na Chapada Diamantina; confira situação atual

Fogo na Chapada: Vale do Capão está sem ameaças de incêndios; Lençóis ainda não recebeu EPIs

Fogo na Chapada: DPE, DPU, Justiça e Promotoria Militar pedem apoio das forças armadas no combate a incêndios

Pessoas que nasceram, vivem, trabalham e visitam a Chapada Diamantina têm deixado declarações de apoio, força e esperança. E quem participa diretamente dos combates traz relatos emocionados do campo, como no caso do depoimento em redes sociais de Cris Mendez, moradora de Salvador que frequenta o Vale do Capão assiduamente. “Quem ama, cuida. Eu vi. Mas muito melhor que ver: eu senti! Senti muito amor. É uma mistura de sentimentos. A maioria das vezes, nesse momento que estamos vivendo, tristeza. Mas tudo ali está sendo levado pelo amor. Foi uma experiência a qual eu nunca vou me esquecer. É com lágrimas sinceras nos olhos, que escrevo isso. A união de todos é incrível.”, relatou Cris.

O sociólogo Gustavo Lopes, que atua em pesquisas na região do Vale do Capão, acredita que faltam planejamento e ações de prevenção às queimadas, que são fenômenos corriqueiros na Chapada. “O ‘foco’ da questão, que é o planejamento e ações de prevenção, são colocados em segundo plano pelas autoridades e representantes dos poderes federal, estadual e municipal. Visto que estamos tratando de um parque nacional, uma área de proteção ambiental”, afirmou Lopes.

foto5

Caso o brigadista apresente sintomas de intoxicação, é recomendado o repouso longe da fumaça | FOTO: Dmitri de Igatu |

Leia também:
Chapada: Chamas retornam em Ibicoara e brigadistas reclamam de negligência no monitoramento

Governo anuncia o envio de mais dois helicópteros para combater incêndios na Chapada Diamantina

Fogo na Chapada: Brigadistas de Lençóis recebem mais ajuda voluntária e reclamam da falta de apoio do município

Cuidados importantes aos brigadistas
Os brigadistas, a maioria voluntários, têm sofrido com a falta de equipamentos de proteção, como tem afirmado diariamente as brigadas. Por conta disso, a Associação dos Condutores de Visitantes do Vale do Capão (ACV-VC) tem procurado informar às pessoas que vão ao combate contra o fogo, algumas medidas de cuidado. As recomendações passadas pela ACV-VC para aqueles que durante os combates aos incêndios se intoxicarem, são: afastar-se da fumaça imediatamente o máximo possível, respirar fundo, quando longe da fumaça. Beber muito líquido, evitando leite, preferindo água pura e fresca, depois que os sintomas tenham regredido. Evitar excesso de atividade física.

Alguns sintomas podem indicar intoxicação respiratória. Caso o brigadista apresente alguns dos sintomas descritos a seguir, é recomendado o repouso longe da fumaça. São eles: ardor intenso nos olhos, dificuldade de respirar, tosse, cheiro de fumaça ao expirar, tontura, desmaio, taquicardia. Em casos extremos pode ocorrer sangramento pulmonar. As pessoas que se intoxicarem com a fumaça devem ficar atentas, pois pode acontecer infecção respiratória, inclusive até três semanas após o episódio da intoxicação.

Jornal da Chapada

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

9 Comentários Sinta-se livre para participar desta conversa.

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.