Preço da gasolina dispara e chega a R$ 4,25; Salvador tem o 4º maior preço

Postado em fev 17 2016 - 1:33pm por Jornal da Chapada
foto6

O Sindicombustíveis estima que somente na Bahia o consumo de gasolina e etanol teve uma queda em torno de sete por cento no ano passado | FOTO: Reprodução |

Um susto para os consumidores. Na última sexta-feira o preço do litro da gasolina em um posto localizado na Rua Djalma Dutra custava R$ 3,47. A gasolina, que até aquela data ainda podia ser encontrada a R$ 3,430 em um outro posto, localizado no bairro do Stiep, em Salvador, ontem já estava em R$ 3,999 em diversos locais na capital. A alta do preço pegou muitos consumidores de surpresa e mesmo quem quis optar pelo álcool (etanol) também se surpreendeu. O produto que estava custando até R$ 2,770 em um posto no Farol da Barra, passou a valer R$ 3,490. “É uma realidade do mercado e a tendência é continuar subindo nos próximos dias”, adverte o presidente do Sindicato do Comércio de Combustíveis, Energias Alternativas e Lojas de Conveniência do Estado da Bahia (Sindicombustíveis), José Augusto Costa.

Para quem costuma abastecer o veículo, como o comerciante Cid Santos, o novo aumento vai restringir ainda mais o uso do veículo. Ele afirma que “com o preço da gasolina nas alturas, é mais cômodo circular de ônibus pela cidade. Hoje está mais caro do que sustentar uma família”, diz. A exemplo de outros consumidores, a opção para muitos motoristas é deixar o carro parado na garagem.

O Sindicombustíveis estima que somente na Bahia o consumo de gasolina e etanol teve uma queda em torno de sete por cento no ano passado, com tendência de aumentar esse percentual este ano. Isto porque, conforme disse José Augusto Costa, os empresários do setor trabalham com a perspectiva de um reajuste elevado ainda nesse trimestre, com a volta da CIDE – Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico, imposto que incidente sobre a importação e a comercialização de gasolina e derivados. A CIDE deve aumentar o preço dos combustíveis em pelo menos R$ 0,50, estimam os empresários do setor.

Redução do consumo
Para quem abastece regularmente o veículo, contudo, independente das razões técnicas, o peso dos preços altos já se faz senti no orçamento. Com R$ 4,00 o litro da gasolina, contudo, a tendência é uma maior redução nas vendas. No ano passado, ante um reajuste em torno de 23% no preço dos combustíveis, houve uma redução em torno de 7,3% do consumo dos derivados de petróleo na Bahia.

Segundo os dados da ANP, no ano passado a Bahia comercializou 7.492.442milhões de litros de combustíveis. No mesmo período de 2014 a comercialização foi de 8.084.199 milhões de litros. Isso significou uma redução de 591.757 mil litros de combustíveis. Em dezembro a queda nas vendas de derivados foi de 7,3% no Estado, sendo que somente com a gasolina o tombo nas vendas alcançou 4,4%.

Para o presidente do Sindicombustíveis na Bahia, José Augusto Costa, os postos que vinham praticando os preços até a última sexta-feira estavam no limite operacional da margem de lucro. Segundo ele, o que aconteceu do início da semana pra cá é um ajustamento à uma realidade do mercado. “O preço medido pela Agência Nacional de Petróleo (ANP) esta semana, será diferente na próxima medição, com tendência de mais reajustes”, afirmou.

Nessa variação de preços, a gasolina mais barata que estava sendo vendida em Salvador até ontem estava a R$ 3,940 o litro, e a mais cara a R$ 3,999. Já o álcool estava com preço médio de R$ 3,490. Segundo José Augusto, aliado à situação pode se agravar mais por causa da queda na produção de álcool, que deverá perdurar até pelo menos o final de abril. Isso porque o álcool é adicionado na proporção de 27% para cada litro de gasolina. “Sem produção e estoque de álcool, o preço sobe e essa adição fará com que o preço da gasolina também aumente”, justifica.

Salvador tem o 4º maior preço
Dentre as capitais brasileiras, Salvador aparece como a quarta gasolina mais cara no Brasil. O maior preço está no Rio de Janeiro, cujo litro da gasolina estava custando, no último final de semana, R$ 4,299. O menor preço foi verificado em Campo Grande (MS) e Belo Horizonte, a R$ 3,599. Quando se compara os estados brasileiros, a Bahia apresenta a 6ª gasolina mais cara, com o preço máximo de R$ 4,250, sendo superado pelos estados do Rio de Janeiro, Pará, Amazonas, Rio Grande do Sul e Acre. Já a gasolina mais barata foi encontrada no Estado de Minas Gerais. Texto extraído na íntegra do site da Tribuna da Bahia.

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.