Pular para a barra de ferramentas
AssessoriaCidadesCuriosidadesMenu Principal

Bahia está parada pela democracia, dizem dirigentes de movimentos sociais

foto6
As mobilizações e trancamentos de BRs pretendem se estender durante toda essa terça | FOTO: Divulgação |

O estado da Bahia acordou nesta terça-feira (10) sob protestos contra o golpe, por mais direitos e pela democracia puxados pela Frente Brasil Popular e a Frente Povo Sem Medo, compostas por diversos movimentos e organizações populares do campo e da cidade. As BRs 101, em Itabuna e Teixeira de Freitas, a 324, Feira de Santana e Simões Filho, a 116, também em Feira e Vitória da Conquista estão totalmente paralisadas. Além disso, a BA 522, na altura de Candeias e São Francisco do Conde está fechada.

Na capital baiana, a Universidade Federal da Bahia (UFBA) também se manifesta contra a manobra golpista que está em curso e realiza uma aula na rua. “Não daremos paz a esse governo ilegítimo. Michel Temer não vai governar esse país através de uma eleição indireta que tenta invalidar mais de 54 milhões de votos do povo brasileiro”, afirma a professora Celli Tafarel.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Contra o golpe
De acordo com Guilherme Ribeiro, da Coordenação Nacional do Levante Popular da Juventude, as mobilizações dessa terça possuem o caráter de denunciar a ilegalidade do processo de impeachment, as articulações “espúrias” de Michel Temer e Eduardo Cunha, além da manipulação midiática dos grandes meios de comunicação, em especial a Rede Globo.

Já Deyvid Bacelar, coordenador geral do Sindicato dos Petroleiros (Sindpetro–BA), acredita que o projeto de Temer, “ponte para o futuro”, é um grande retrocesso na vida dos trabalhadores e das trabalhadoras. “Não vamos aceitar. Não deixaremos ele privatizar a principal empresa brasileira [Petrobras] e precarizar ainda mais o trabalho. Nós vamos parar o país”, destaca o sindicalista.

Reforma Agrária
Para o MST na Bahia, que está mobilizando milhares de trabalhadores nos trancamentos de BRs, a Reforma Agrária vem sendo tratada com descaso e negligência. “O governo Temer já aponta que essa situação vai piorar, com privatizações e a burocratização das desapropriações de terra em todo o país”. “Nossa tarefa é dá continuidade as lutas pela democracia, contra os retrocessos constitucionais e continuar denunciando as contradições do capital cometidas pelo agronegócio”, enfatiza a direção do MST.

As mobilizações e trancamentos de BRs pretendem se estender durante toda essa terça-feira em repudio ao golpe, “chamado de impeachment”, e em defesa dos direitos conquistados pela classe trabalhadora. As informações são do Coletivo de Comunicação do MST na Bahia.

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios