Chapada: Feira Literária de Mucugê terá atividades com escritores, músicos e cineastas

foto

A programação, totalmente gratuita, dirige-se ao público adulto, mas também, dispõe de um espaço para o encontro do público infantil e comunidade estudantil | FOTO: Montagem do JC/Fligê |

A segunda edição da Feira Literária de Mucugê, que tem início na próxima quinta-feira (10) com o tema central ‘Somos paisagens dos sertões em rotas de composições’, tem o propósito de apresentar, difundir e valorizar a obra literária em sua natureza plural e em diálogo com outras expressões artísticas. A Fligê 2017 terá como homenageado o autor de ‘Os Sertões’, Euclides da Cunha (1866-1909). A escolha do nome rememora os 120 anos da Guerra de Canudos, uma vez que o escritor presenciou uma parte do combate como correspondente do jornal O Estado de S. Paulo e o descreveu com riqueza de detalhes na mencionada obra-prima da literatura brasileira, publicada em 1902.

“A feira une o autor e a obra num contexto local, onde as belezas e mazelas do Nordeste brasileiro necessitam ser vistas pelo mundo”, explica Ester Figueiredo, curadora da Fligê. Integrando o circuito de feiras e festas literárias realizadas na Bahia e no Brasil, a Fligê vai contar com conferências, lançamentos, leituras guiadas, contação de estórias, oficinas, estandes/editoras, homenagens e apresentações artísticas, facilitadas por autores convidados. A programação, totalmente gratuita, dirige-se ao público adulto, mas também, dispõe de um espaço para o encontro do público infantil e comunidade estudantil: a ‘Fligezinha’, que permitirá aos participantes experimentações literárias, além de vivências de leitura inclusiva.

Vários pontos da turística cidade de Mucugê e a Vila de Igatu, em Andaraí, serão ocupados com diferentes atividades, como o Cemitério Bizantino e a Igreja Santa Isabel que serão palcos das Leituras Guiadas. A praça Cel. Propércio se transformará num imenso Calçadão Literário, com sessão de autógrafos e bate-papo com autores que divulgarão suas obras: Rita Queiroz, Dulce Moreira, Gésia Cássia Lima, Neivande Dias, Tahiana Borges, Luar do Conselheiro (Aidner Mendez), Bhavaraja Dharmananda, Felipe Eduardo Marta, Leila Maria Prates e Berta Leni, no Café com o Autor, no domingo (13).

capas2

Vários pontos da turística cidade de Mucugê e a Vila de Igatu, em Andaraí, serão ocupados com diferentes atividades, como o Cemitério Bizantino e a Igreja Santa Isabel que serão palcos das Leituras Guiadas | FOTO: Montagem do JC/Fligê |

A paisagem mais disputada será o Centro Cultural de Mucugê, que dispõe de uma extensa e diversificada programação para agradar a todos os gostos. Passarão por lá nomes como Zack Magiezi, Aleiton Fonseca, Emiliano José e Ingra Lyberato, além de Jean Willyys (por vídeo). No local acontecerá ainda a Solenidade e Conferência de abertura, na quinta (10), com o tema: “Entre sertões e chapadas: sentidos e metáforas”, por Ruy Medeiros e a Conferência de Encerramento, com o conferencista Cristian José Oliveira Santos Brayner, membro da Diretoria de Livro, Leitura, literatura e Bibliotecas (DLLLB), do Ministério da Cultura (MinC).

Outras linguagens
É também no Centro Cultural que os participantes poderão conferir, no primeiro dia da Fligê, o Concerto Lítero Musical ‘Dos sertões e outras terras’, com João Omar de Carvalho Mello, Petrônio Joabe e Elton Becker. No segundo dia, o Grupo Villaquintana apresenta o espetáculo ‘Paisagens sonoras de Dorival Caymmi’ e no terceiro dia, Elomar Figueira Mello presenteia o público com ‘Dialógo concertante no sertão de Euclides e de Elomar‘, com participação do maestro João Omar, além do lançamento do seu segundo livro ‘A Era dos Grandes Equívocos’.

No festival acontecerão cinco oficinas, entre elas a de escrita criativa, vivência de brincadeira com sucata, musicalização, animação e contação de histórias. Todas serão ministradas na sexta (11) e sábado (12), das 8 às 11h, no Colégio Horácio Matos. A sétima arte ganha destaque com a ‘Fligecine‘, que terá a Mostra Chico Liberato com a exibição do longa-metragem de animação ‘Boi Aruá’ e o curta ‘Amarilis’, no sábado (12), na Casa da Filarmônica. Serão exibidos ainda os filmes de curta-metragem ‘Mãos de Vento e Olhos de Dentro’, de Susanna Lira; ‘A Menina que Pescava Estrelas’, de Ítalo Cajueiro e ‘Brincadeira de Criança’, de Makinov. Jornal da Chapada com informações de assessoria.

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

1 Comentário Sinta-se livre para participar desta conversa.

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.