Fogo na Chapada: Novo foco é identificado entre Andaraí e Lençóis e ameaça comunidade quilombola

Postado em dez 17 2015 - 11:14pm por Jornal da Chapada
foto5

Chamas consomem região de Andaraí e ameaçam chegar em comunidade tradicional na divisa com Lençóis | FOTO: Ilustração/Dmitri de Igatu |

A comunidade quilombola do Remanso, no município de Lençóis, na Chapada Diamantina, está ameaçada pelo fogo que atinge a região que fica na divisa com Andaraí. Nesta quinta-feira (17), o presidente da brigada dos Combatentes de Incêndios Florestais de Andaraí (Cifa), Homero Vieira, procurou o Jornal da Chapada e informou que as chamas seguem avançando.

“Continua complicado os combates e o fogo se alastra cada vez mais. Existe um descaso enorme com as ações. Em Ibicoara o fogo continua, os aviões jogam água aleatoriamente, gastando R$ 5 mil toda vez que faz um sobrevoou, é um absurdo o que estão gastando com essas ações e não conseguem resolver nada”, revela Homero.

foto5

Aviões jogam água aleatoriamente e combate a fogo não avança | FOTO: Reprodução/Facebook |

Leia também:
Governo informa que mais de 6 mil equipamentos foram entregues para combater incêndios na Chapada

Focos se intensificam na Chapada Norte; Parque Estadual é atingido e chamas ameaçam nascentes

Brigadista volta a denunciar ‘indústria do fogo’ na Chapada Diamantina: “Age deliberadamente”

Secretário diz que incêndio já devastou 51 mil hectares na Chapada Diamantina durante 3 meses

Fogo na Chapada: Ainda existem focos no Vale do Capão; brigadistas dizem que situação não afeta turista

Conforme Vieira, as chamas que atingem o município de Lençóis estão parcialmente controladas. “Não temos novidades, só a mesma falta de coordenação. E tudo continua seguindo o ritmo dos ‘burrocrastas’ e da indústria do fogo. A Cifa recebeu nesta quinta alguns materiais do governo, roupas, mochilas costais, enxadas, foices, luvas, facões, cantis, botas e óculos”, informa. Ainda segundo o presidente da Cifa, a maior dificuldade é a mobilidade. “Sem um veículo fica tudo muito mais complicado”.

De acordo com informações passadas pela Secretaria Estadual de Meio Ambiente, 50 mil hectares de vegetação foram devastados nos três últimos meses pelo fogo na região da Chapada Diamantina. Desse total, 15 mil hectares foram destruídos dentro do Parque Nacional – área de preservação ambiental que abrange seis municípios. Homero Vieira contesta os dados da pasta do governo da Bahia e diz que “falar em 50 mil hectares queimados depois de três meses de fogo é, no mínimo, uma brincadeira de mal gosto”. Além de Lençóis e Andaraí, ainda existem focos de incêndio sendo combatidos em Barra da Estiva, Jacobina e Palmeiras.

foto5

Existe atuação de combate nos focos na região da Serra do Palmital, do Veneno e Ribeirão | FOTO: Cris Mendez |

Leia também:
Incêndios na Chapada Diamantina mobilizam pessoas em todo o estado

Rui Costa determina manutenção de efetivo no combate aos incêndios na Chapada Diamantina

Brigadistas da Defesa Civil Nacional já estão na Chapada Diamantina; confira situação atual

Fogo na Chapada: Vale do Capão está sem ameaças de incêndios; Lençóis ainda não recebeu EPIs

Fogo na Chapada: Incêndio em Jacobina avança e atinge distritos da região

Vale do Capão
Na região do Vale do Capão, distrito de Palmeiras, a Associação dos Condutores de Visitantes do Vale do Capão (ACV-VC) informa que segue realizando trabalho de rescaldo em trecho da trilha da cachoeira da Fumaça. “Precisamos formar uma equipe para sair amanhã [sexta, 18] logo cedo, às 7h da manhã, para realizar rescaldo na área da Fumaça. O trabalho de rescaldo é de extrema importância para garantir que o fogo não volte”, aponta a direção da ACV-VC via rede social. Existe atuação de combate nos focos na região da Serra do Palmital, do Veneno e Ribeirão.

Jornal da Chapada

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

5 Comentários Sinta-se livre para participar desta conversa.

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.