AssessoriaCidadesCuriosidadesMenu Principal

Chapada Diamantina é destino de ecoturismo para o feriadão de 7 de Setembro

foto3
A Cachoeira da Fumacinha é destaque em Ibicoara | FOTOS: Reprodução/Trilhas e Aventuras/Karsten Rau |

O tão aguardado feriadão do Dia da Independência do Brasil (7 de Setembro) está chegando e muitos desejam aproveitar esse momento para relaxar e recarregar as energias. Neste período, as cidades da Chapada Diamantina são muito procuradas por turistas, que buscam no contato com as belezas naturais – cachoeiras, poços, morros e cavernas – um alívio para suas tensões. Os viajantes também podem desfrutar dos desfiles com fanfarras, celebrando o Dia da Pátria, que são tradicionais nos pequenos municípios da região.

A Chapada Diamantina é uma das mais extensas zonas turísticas da Bahia, e é dividida em três circuitos. O Circuito do Diamante é o mais conhecido, e abarca municípios como Andaraí, Ibicoara, Iraquara, Itaetê, Lençóis, Mucugê, Nova Redenção, Palmeiras. O Circuito do Ouro é composto por municípios como Abaíra, Livramento de Nossa Senhora, Piatã, Rio de Contas. E, por fim, o Circuito da Chapada Norte, que congrega os municípios de Bonito, Campo Formoso, Jacobina, Miguel Calmon, Morro do Chapéu, Wagner. Para você não se perder em meio a tantas opções de passeios, selecionamos algumas, é só escolher e se programar. Ainda dá tempo de chamar os amigos, a família, botar a barraca de camping na mochila e pegar a estrada!

foto45
Cachoeira Califórnia fica em Igatu | FOTO: Açony Junior |

Mucugê e Igatu
Mucugê é tombada como patrimônio nacional pelo Instituto Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e foi construída nas margens da Serra do Sincorá. O seu principal destaque é o Parque Municipal de Mucugê, onde está localizado o Parque Sempre-Viva, projeto bem sucedido de educação e preservação ambiental, além do Museu Vivo do Garimpo. Já Igatu é um distrito que pertence ao município de Andaraí e fica localizada entre a sede e Mucugê. O vilarejo também é tombado como patrimônio nacional pelo Iphan e possui diversos atrativos especiais, como a Galeria Arte e Memória, um museu a céu aberto, que guarda utensílios do garimpo e dos escravos, e as seis cachoeiras ao seu redor, ideais para a prática do trekking e da escalada.

Vale do Capão
Localizado no município de Palmeiras, o Vale do Capão resguarda paisagens e belezas naturais encantadoras. As trilhas são basicamente compostas por cachoeiras, dentre outras preciosidades naturais. É onde fica a trilha mais batida para a Cachoeira da Fumaça, a mais alta do Brasil, uma área tomada por Mata Atlântica, montanhas de até 1,5 mil metros, além de fauna e flora diversificadas. Não é por falta de atrativos que o Vale se destaca, lá se tem trilhas para os Gerais, a correnteza do Rio Preto e o imponente Morrão.

foto6
Cemitério Bizantino de Mucugê | FOTO: Tatiana Azeviche/Setur |

Leia também:
Chapada: Festival de Lençóis atrai turistas no feriadão de outubro; confira opções de passeios

Brasil Ride movimenta as trilhas da Chapada Diamantina entre 17 e 24 de outubro

Chapada: Cachoeiras da Fumaça e Buracão entre as 15 mais bonitas do Brasil; confira uma das trilhas

Iramaia revela belezas intocáveis da Chapada Diamantina; conheça trilhas na Raposa

Chapada Diamantina é indicada como uma das 20 maravilhas naturais do mundo

Confira aqui quais foram as atrações já confirmadas para o 17º Festival de Lençóis

Vale do Pati
A maioria dos turistas que já fez o percurso afirma que é um dos melhores e mais bonitos roteiros da Chapada Diamantina. O Pati fica no meio do Parque Nacional da Chapada (Parna), entre os municípios de Andaraí e Mucugê, e possui três vias principais de acesso para começo e término da travessia: Vale do Capão, Guiné e Andaraí. Este trekking se caracteriza por caminhadas em extensas áreas planas, com alguns momentos de subidas e descidas íngremes e passagens por leitos de rios. A cada instante o trilheiro se depara com morros deslumbrantes e enormes, rios magníficos, cachoeiras exuberantes que fazem compreender e admirar a magnitude da natureza local.

foto666
Rio Pati e o Morro do Castelo, no Vale do Pati | FOTO: Reprodução |

Morro do Chapéu
O município de Morro do Chapéu, do Circuito Chapada Norte, possui mais de 10 sítios que reúnem pinturas em grutas e pedras, com uma infinidade de cachoeiras, paredões, desfiladeiros e a maior concentração de orquídeas da Bahia. A cidade, localizada a mais de mil metros de altitude, é também o paraíso dos fãs de esportes radicais, rota certa para a prática de rapel, mountain biking, trekking e cavernismo. Ganha destaque a Cachoeira do Ferro Doido, situada a 15 km da sede, chega a alcançar no ponto mais alto 98 metros, formados pelo rio de mesmo nome.

foto7
Cachoeira do Ferro Doido, em Morro do Chapéu | FOTO: Reprodução/Trip |

Rio de Contas
Localizada no Circuito do Ouro, Rio de Contas é a cidade mais antiga da Chapada. Ela possui um dos três conjuntos arquitetônicos coloniais mais importantes e belos da Bahia, e abriga quase 300 construções históricas tombadas pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Com diversos atrativos naturais em seu entorno, o município é detentor dos picos mais altos do Nordeste: o do Barbado (o mais alto, com 2.033 metros, fica entre Rio de Contas, Abaíra e Piatã), do Itobira (com 1.970 metros) e das Almas (com 1.958 metros). Os dois últimos, em Rio de Contas.

Leia também:
Estrada Real está sendo resgatada pelo governo para alavancar turismo na Chapada Diamantina

Vale do Capão tem trilhas para cachoeiras e histórias da Chapada Diamantina

Chapada: Gentio do Ouro revela histórias e pinturas antigas entre cânions e serras

Mergulho em cavernas e grutas atrai turistas e aventureiros para a Chapada Diamantina

Ibicoara
Situada no sudoeste da Chapada Diamantina e a 1.700 metros de altitude, a cidade de Ibicoara, que significa ‘buraco na terra’, vem ganhando espaço no turismo local. Seu principal atrativo – a Cachoeira do Buracão, fica localizada no Parque Municipal do Espalhado, uma unidade de conservação com uma área de 611 hectares, a 30 quilômetros da sede do município. Outras belezas naturais, como a Cachoeira da Fumacinha, do Lucuri e do Rio Preto também fazem muito sucesso entre os turistas e atraem, principalmente, os adeptos de esportes de aventura como o rapel, o cascading, a escalada e o trekking.

foto456
O cume do Pico das Almas, em Rio de Contas, é o terceiro maior pico do Nordeste brasileiro | FOTO: Reprodução/Rui Rezende |

Como chegar
Existem três opções de transporte para chegar à região da Chapada Diamantina, de carro, de ônibus ou de avião. De carro, saindo de Salvador, pegar a BR 324, sentido Feira de Santana, de lá é possível seguir pela Estrada do Feijão, BA-052, até Ipirá, onde pegará a estrada para Itaberaba e seguir pela BR 242. A outra opção é seguir de Feira de Santana pela BR-116 até a altura do Paraguaçu e pegar a BR 242.

No feriado, as empresas de ônibus aumentarão sua frota. Contatar na rodoviária de sua cidade quais empresas fazem o transporte para a Chapada Diamantina, ou consulte o site da Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transportes e Comunicações da Bahia (Agerba). Para quem quer ir de avião, existe a opção de voar até o aeroporto Coronel Horácio de Mattos, em Lençóis. Mas garanta logo sua passagem, pois a expectativa é que a procura aumente nos próximos dias.

Jornal da Chapada

Etiquetas
Mostrar mais

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Pular para a barra de ferramentas